Textos

07 de agosto de 2014

Ele existe

Hoje eu recebi um convite de casamento. Não um convite qualquer, mas daqueles que enchem nosso coração com um calorzinho bom, sabe? Uma amiga de escola, de longa data, vai se casar com um americano que conheceu via MSN há 9 anos. Daquelas histórias de filme, que a gente pensa que não acontece fora da ficção. Eu fiz parte dessa história, em chats, trocando ideia em inglês, ouvindo sobre um novo amor em português, aprendendo novas canções. Derek (o noivo) foi quem me apresentou uma das minhas cantoras favoritas, inclusive.

Quando eu era mais nova, não acreditava em amor e a Carla (a noiva), que pacientemente me ouvia em tantas noites de porradas revoltadas no teclado, me disse uma vez: “Pois eu vou sorrir no dia do seu casamento”.

Ironicamente, estarei nos Estados Unidos na data. E sinto que vou perder um desses momentos únicos na vida: o de presenciar um amor de verdade. Sabe, quando eu descobri que o amor existia de verdade, não muito tempo atrás, foi desses acontecimentos que modificam a gente pra sempre (aprendi dia desses que o nome disso é “alumbramento”). E, desde então, procuro nunca deixar um momento desses se perder. Quando soube que o Derek estava no Brasil e que, finalmente, depois de tantos anos, os dois estavam juntos, emocionei feito criança que entra em loja de doce. Era o amor me lembrando que é possível, outra vez. Ele existe e é sempre bom ser lembrada desse fato, seja presenciando uma história acontecendo, ou vivendo a sua própria. E quem diria? A menina que não acreditava teve a sorte de passar por ambas as experiências. E hoje, quer até casar!

Sinto não poder estar lá para sorrir no dia do casamento da Carla. Mas deixo meu presente em forma de palavras, em um texto que celebra, assim, bem clichê, esse grande acontecimento chamado amor.

 

* Imagem: Together We Are Invencible.

Carolina Lancelloti
Leia mais textos de Carolina aqui.