Textos
Francine Bittencourt
26 de setembro de 2013

O problema de deixar nas mãos de Deus é que pode demorar

Quando era criança sempre ouvia minha vô dizendo:

– Entrega nas mãos de Deus que ele resolve.

Não costumo encher o saco de Deus à toa, mas quando tento de tudo em relação a uma situação e não tenho resultado, entrego nas mãos dele.

– Tó, se vira aí. Me dá um alívio imaginar que alguém vai resolver alguma coisa por mim.

Esses dias fui conferir tudo que venho entregando nas mãos dele há tempos, e vi que uma coisa muito importante está ainda sem resposta.

Não tive dúvidas, liguei no departamento que presta suporte ao céu.

– Por favor, entreguei isso na mão de Deus há anos, você pode verificar o que houve?
– Desculpe, mas estamos com atraso, Deus está com muitas coisas nas mãos.
– Mas já faz tanto tempo, mandei até um WhatsApp para garantir.
– Ah, mas ele raramente responde.
– Sei que ele viu, tinha o tique duplo.
– Esses tiques não querem dizer que ele leu, só que foi entregue.
– Se foi entregue ele vai resolver?
– Pode demorar anos.
– Eu não posso esperar anos.
– Você tem o número do protocolo?
– Nem tenho mais, faz muito tempo.
– Então me fala o que era, para eu tentar puxar nos arquivos do iCloud?
– Não posso falar, é muito pessoal.
– Assim fica difícil. Já tentou algum santo?
– Maria prometeu passar na frente, mas até agora nada. São Jorge ficou muito pop depois da novela, milhões de seguidores no Twitter. Santo Expedito nunca está online, e Santo Antônio não aceita mais ninguém no Facebook. “This person has reached the friend request limit, but you are now following them”.
– Bom, então tem que aguardar mesmo.
– Olha só, não quero ser chata, mas, sei de gente que pediu bem depois e ele já resolveu.
– Ah, pelo seu nome achei aqui uma posição. Nada resolvido, porém com dezoito anjos lindos trabalhando no processo.
– Dezoito?
– Sim! Nossa e parabéns pelos anjos. Arrasou.
– Você consegue vê-los?
– Sim, tô no Facebook deles.
– Também posso ser amiga deles?
– Se eles aceitarem.
– Vão aceitar, trabalham para mim.
– Não, darling, trabalham para Deus e para outras pessoas.
– Jura? Achei que fossem exclusivos.
– Amiga, quantas milhões de pessoas existem no mundo?
– Mas nem todo mundo precisa de dezoito, é que eu sou um pouco distraída, deve ter gente que se vira com um.
– Nossa, você é bem distraída mesmo, tô vendo aqui. É a pessoa que mais perde o crachá num prédio inteiro.
– Tá no meu cadastro celestial essa informação?
– Não, tá no seu Facebook.
– Vem cá, qual seu cargo exatamente?
– Sou assessor online de Deus, mas hoje tô no suporte, porque a moça faltou.
– Bom, voltando ao seu caso. Era muito importante?
– É a coisa mais importante da minha vida.
– Então espera mais um pouco.
– Se ele não for resolver de jeito nenhum, ele me avisa?
– Ele envia sinais.
– Sou muito distraída, prefiro um aviso por escrito.
– Vou colocar essa observação aqui. Quem sabe ele não tem outra solução?
– Outra?
– Sim, muitas vezes ele arruma solução melhor.
– Tá, mas você pode dizer para ele que eu não quero outra? Eu quero do jeito que pedi, se não, nem precisa.
– Fica tranquila, vai ser feita a vontade de Deus.
– Será que, pelo menos dessa vez, não dá ser feita a minha vontade? Porque é sempre a vontade dele e eu nunca reclamo.
– Vou levantar essa questão.
– Mas fala hoje, tá? Diz que tô esperando já faz tempo e, afinal de contas, também sou filha dele.
– Deus demora, mas sabe o que faz.
– Ah, diz para ele o seguinte: amar o próximo é fácil, difícil está sendo amar o atual. Ele vai entender.

 

* Imagem: Joe Webb.

Francine Bittencourt
Autor(a) convidado(a) da Confeitaria convidado(a).