Autores convidados, Textos
Ana Paula Magalhães
04 de abril de 2013

Virgem

Quando o amor perde o cabaço, acabou. Amor tem que ser virgem, sonhar, sorrir de canto, meio envergonhado, acreditando que o mundo é bom. Aquele feeling inocente, a sensação de uma criança de dez anos que tem certa noção do que é tesão, mas não traz maldade. Amor e cabaço precisam estar de mãos dadas. Quando o amor perde a castidade, desfaz-se. É quando você se olha no espelho no dia seguinte e sente que algo que estava ali foi embora. E nunca mais voltará. Nunca mais. E perde a ingenuidade. Amor descabaçado. O banho morno demorado depois do sexo febril. E virou adulto. O amor. Tomando pílula, usando camisinha, indo ao ginecologista. É assim que é. E é assim que acontece quando se cresce. O amor endurece, enruga, cria pé de galinha. Depois disso não se tem mais paciência pra essa coisa infantil. E não sabia se iria conseguir amar desse jeito, porque o seu amor ainda usava fraldas. Não. Não sabia se conseguiria ver o seu não primeiro amor ser tomado assim, violentamente. Não teve nem um jantar, um vinhozinho, uma conversa mole ao pé do ouvido, não. Foi tudo assim na surdina da noite, rápido, como o movimento frenético de quadris adolescentes que não sabem a hora de parar. E continuavam horas a fio, metendo. Enfiando um no coração do outro a estaca rígida desse amor de agora.

 

 

Ana Paula Magalhães é uma dos Autores Convidados da Confeitaria.

Bio: Ana Paula nasceu em Brasília, viveu em Londres, mudou-se para São Paulo, mas hoje mora em Nova York. É louca por música, mas formou-se em Literatura. Escreve sobre coisas tristes, mas ama rir bem alto com os amigos. Às vezes fala muito, mas é capaz de passar dias calada.

Leia mais textos de Ana Paula em seu blog, o Ainda Estou Bêbada.

Imagem: Tania Shcheglova

Ana Paula Magalhães
Autor(a) convidado(a) da Confeitaria convidado(a).