Textos

03 de outubro de 2012

Carta Aberta Contra a Misoginia

Queridas,

 

Acabei de assinar uma petição pedindo à MTV brasileira que encerre o patrocínio ao blog Testosterona. A última coisa que eu pensaria a meu respeito é que sou uma mulher à frente do meu tempo, mas que em 2012 ainda exista um blog assim, meu Deus, eu juro que não entendo. Por que? Porque uma boa parte do mundo é composta por idiotas, é por isso. Mas eu não preciso compactuar com tamanha idiotice, preciso? Não, eu não preciso. E posso pelo menos tentar fazer algo a respeito, não posso? Sim, eu posso, e é por isso estou aqui infernizando vocês.  🙂

Acho essa coisa de assinar petições eletrônicas bem incômoda, sendo sincera. E sempre tendo a pensar que de nada vai adiantar, que qualquer um poderia ir no endereço que já, já eu vou compartilhar e criar um nome qualquer, citar um CEP qualquer e pronto. Afinal, são necessárias apenas 10 mil assinaturas. “Para a Internet, isso é moleza.” Né?

Não, não é moleza não –e estou falando comigo mesma aqui. Moleza é ficar sentadinha em casa vendo a vida acontecer e não mexer um dedo sequer para que o mundo se torne um lugar melhor. Moleza é criticar quem de fato faz alguma coisa, ainda que seja uma petição, para punir quem deliberadamente discrimina uma pessoa ou grupo em virtude de gênero (!) ou orientação sexual. Dureza, por sua vez, é ser mulher e ainda escutar que o meu lugar é na pia, no fogão. Que o movimento que me concedeu o direito de votar, de abrir uma conta bancária em meu nome, de dirigir e mesmo cursar uma faculdade, entre tantas outros direitos, é “loucura de um bando de mulheres mal amadas”. Osso, não é?

E para (quase) finalizar: a primeira e maior emenda popular que já existiu no Brasil foi de autoria de uma mulher, a Glória Perez. E foi feita também por assinaturas, mais de um milhão delas. Olhem isso: antes do assassinato de Daniella Perez, em 1992, o homicídio não era considerado crime hediondo no Brasil. Ou seja, matar um ser humano não era considerada uma ofensa grave o suficiente para que o criminoso aguardasse o julgamento na prisão, não; ele podia esperar pela sentença em liberdade! Mas tamanha foi a luta de Glória que essa palhaçada teve fim: ela conseguiu um número impressionante de assinaturas e pôde levar a proposta ao Congresso, e isso antes da Internet. Claro que o caso Daniella foi infinitamente pior do que o de um blog misógino, mas imagine um Brasil em que não se possa mais agredir mulheres e gays por eles serem… ãh… mulheres e gays? Eu acho que começa pequeno assim.

Abaixo, a mensagem que recebi ao assinar a petição, que provavelmente é a que você vai receber caso decida assinar:

A MTV apoia e promove o Testosterona, um blog que incita a violência contra mulheres, gays e pessoas trans. Entre as postagens dos caras estão um guia rápido para o estupro, que recomenda que os homens “apaguem as mulheres com um tijolo”.

Acabo de exigir que Van Toffler, presidente da MTV Networks, se posicione contra o ódio e a violência, e encerre a parceria entre a MTV e o Testosterona imediatamente.

Faça como eu, por favor, e pressione também.

www.allout.org/pt/MTV

Aqui, você entende melhor quando e como o blog Testosterona adotou um tom machista e humilhante:

Aqui, uma notícia que me enche de esperança: o maior estudo sobre violência contra mulheres já feito até hoje mostra que os movimentos feministas são fundamentais para mudança. Mais do que a própria riqueza dos países. Mais do que as políticas de esquerda. Mais até do que a eleição de parlamentares mulheres (Fantástico, não?).

E por último, um post esclarecedor.

E é isso.

Um beijos em vocês todas. <3

 

* Nota da Fabiane: Este texto foi escrito e enviado como um e-mail fechado para algumas amigas da Flávia. Mas, conversando com ela, acreditamos que valia a pena dividir essa causa com vocês, leitores da Confeitaria. Uma carta aberta a todos que também se indignam diante da misoginia.

Vamos assinar? Como a Flávia disse, começa pequeno assim.

Flávia Stefani Resende
Leia mais textos de Flávia Stefani aqui.