Textos

20 de agosto de 2013

As inimigas

A pessoa posta uma foto qualquer dela mesma ou de algo que eu não entendo ao certo por que poderia gerar alguma comoção acompanhada da legenda “dia difícil para as inimigas”. Comprou uma passagem para a Europa? Dia difícil para as inimigas. Tietou ao lado de uma subcelebridade? Dia difícil para as inimigas. Apenas: parem com essa merda.

Moça, por que você acha que as outras mulheres são suas inimigas? Por que atribui um gênero específico a inimigos imaginários que te secam pela internet? Você acha mais verossímil que outra mulher queira te ver pelas costas do que um homem? Moça, não é nem que você seja machista, é que você é tapada mesmo. Eu sou da teoria de que nós avaliamos o mundo com base na nossa medida. Se você acha que uma legião de mulheres vai invejar e praguejar contra cada uma de suas minúsculas conquistas cotidianas deve ser porque você faz isso com uma legião de mulheres.

Eu não sei de onde essa expressão idiota veio nem para onde ela vai, só acho lamentável ver tantas (TANTAS) pessoas de idade já meio elevada passando esse tipo de indiretinha generalizada via rede social. A lógica de que as mulheres são competitivas e invejosas entre si é uma lógica obtusa. Existe inveja e existe competição no mundo, nada disso é exclusividade das mulheres, nada disso emana somente das mulheres ou as têm como único alvo.

O dia em que entro pacificamente no meu Instagram e vejo minhas amigas postando esse tipo de merda é um dia muito difícil para mim.

 

* Imagem: Ruven Afanador

Juliana Cunha
Leia mais textos de Juliana aqui.