Textos

15 de junho de 2012

E depois da ideia?

Todo dia eu acordo com novas ambições. E depois que conheci o Tomás Ferrandiz estou acordando ainda pior. Através de suas aulas parece que as coisas difíceis de repente se tornaram muito fáceis de virar realidade. Explico:

Tomás é louco por criatividade e tecnologia. E durante sua aula nos mostrou vários projetos simples, mas com ideias fantásticas. Um deles era a de um grupo de amigos que, a partir de uma necessidade pessoal, colocaram sua ideia banal em prática. E era isso aqui:

Esse grupo de amigos teve a ideia, chamou um programador para que ajudasse a fazê-la existir, pediu um empréstimo ao banco e pá, deu nisso. O aplicativo já saiu até em programa de televisão, no metrô e dezenas de blog falaram sobre isso.

E depois, uma outra chica do curso falou sobre uma rede social famosa na Argentina que envia tweets por voz, em vez dos famosos 140 caracteres. E a coincidência parecia até mentira: eu mesma tive essa ideia há um ano, mas deixei a anotação em algum caderno velho, por não ter/saber colocá-la em prática.

A questão é: o que se faz com uma ideia? E o que fazer depois dela?

Todos os aplicativos de mobile, Facebook e Google começaram assim, com alguém que sabia o que fazer com a ideia. E acho que ambição é isso: acreditar que você não está longe de chegar a isso. Que, em vez de engavetar as ideias ou deixá-las mofando no GoogleDocs, você poderia ligar para aquele amigo programador e pedir uma força. Ah, claro, e ter outros bons contatos porque não é preciso só um programador para fazer tudo funcionar.

O que quero dizer é que é fundamental acreditar em si e em suas ideias. Mesmo que sempre haja um amigo que diga que você só fala bobagem. Mesmo que dê um puta trabalho. Mesmo que não vire pauta da Forbes. Porque faz parte do processo não esperar que as outras pessoas ou profissões mudem para você fazer alguma coisa. Não esperar só pelo outro. Mas agir como se a sua ambição e as suas ideias fossem mudar inteiramente a sua vida.

E é aquilo, quem disse que elas não podem mudar?

– – –

Um dia vou fazer jus aos amigos que me incentivam a pôr em prática as minhas ideias. Prometo.

 

* Este texto foi escrito enquanto a Lorena fazia o curso “Creatividad para Nuevos Formatos”, na Complot, em Barcelona, na Espanha, e publicado em seu tumblr em abril de 2011.

Lorena Goretti
Leia mais textos de Lorena aqui.