Textos

21 de setembro de 2012

Um ano atrás

Terminei uma página trabalhosa da história que eu estava desenhando e fui passear um pouco pela internet. Me arrependi em seguida, porque fui cair numa página da NME, que perfurou meu coração com a manchete: “REM split up after 31 years”.

Até hoje tenho um pouco de vergonha do sentimento que bateu quando li essa notícia. Segurando as lágrimas (Sério? Sério. Desculpa aí se você nunca amou uma banda como se eles fossem seus amigos de infância), ia pulando de site em site até chegar na página oficial dos caras, só pra ter a dolorosa certeza: o REM decidiu que, pra eles, deu.

Na época, eu não entendi bem tudo que senti, mas hoje sei o principal motivo: fiquei instantaneamente velho. Como se tivesse entrado numa máquina do tempo ao ouvir Orange Crush pela primeira vez e fosse cuspido aqui, nessa terra inóspita, onde discos não fazem mais sentido algum e as bandas que fazem sentido acabam de repente.

Shit! Everybody Hurts! Eudevia saber, né? Já faz um ano, e ainda dói.

A única coisa que fez algum sentido naquela hora foi voltar pra prancheta. Parei a história que eu estava desenhando e comecei uma outra, meio sem roteiro (um dos principais erros que você pode cometer quando quer fazer uma história em quadrinhos, eu sei. Mas eu estava triste e me dei um desconto). Lembrei dos discos, das épocas, das pessoas. Por algum motivo, isso me ajudou a tirar aquela horrível impressão de que “o tempo passou e você não conseguiu fazer um monte de coisas que sonhava”, tipo uma letra que possuísse, ao menos, uma fração da poesia de E-Bow the Letter. Ou uma melodia FODA como a de Talk About the Passion.

Comecei fazendo esse desenho aqui, que na verdade virou o último quadro da história nascida desse pequeno surto-nostálgico-emotivo. Na época, eu tinha dúvidas se ia colocá-la no livro. Hoje, eu li de novo e não senti vergonha.

Pelo menos alguma coisa bonita, eu consegui fazer.

 

* Nota da Confeitaria: quem quiser conhecer mais sobre o livro do Murilo, o LoveHurts, vale seguir a fanpage oficial.

A gente fortemente recomenda. Você encontra este e outros desenhos e histórias incríveis por lá.

Murilo Martins
Leia mais textos de Murilo aqui.