Textos

18 de fevereiro de 2015

Irmãos de saco

— Lucia, vem cá, senta aqui pra gente conversar.
— Tá bom.
— Então filha, você vai ganhar um irmãozinho.
— A MAMÃE TÁ GRÁVIDA???
— Não, filha, esse filho é meu.
— VOCÊ VAI CASAR?
— Não, filha, eu não vou casar.
— Mas não precisa casar pra ter filho?
— Não precisa. Aliás quando você nasceu eu também não era casado com a sua mãe.
— Ah.
— Ficou feliz?
— MUITO!
— Você vai me ajudar a cuidar dele?
— Eu ajudo a dar mamadeira. E na hora de trocar a fralda eu posso te entregar a fralda limpa mas não vou mexer no cocô. Eca.
(abraços)

Meia hora depois:

— Então eu vou ter dois irmãos de barriga e dois de coração.
— Então, filha, esse irmão não vai ser de barriga, porque não é da mesma barriga.
— Então eu vou ter uma irmã de barriga, um irmão de sangue e dois de coração.

Não sei de onde ela tirou irmãos de sangue.
Eu obviamente já diria que são irmãos de saco.
Mas até que funciona também.

Renato Kaufmann
Leia mais textos de Renato aqui.