Textos

25 de setembro de 2013

Histórias pra filha (não) dormir

Era uma vez um demônio das profundezas chamado Cachulu. Ele era bonitinho, tinha asas, uma cara de polvo e só queria abraços. E conquistar o mundo. E que todo mundo fosse escravo dele em um reino tirânico.

Um dia, a dragão Azulzinha estava passeando em uma montanha mágica quando viu um espelho. No Espelho, tinha um lindo horrível demoninho das profundezas. Ele disse, todo fofo – Me tira daqui? E a Azulzinha respondeu que não. – Mas eu só quero abraços. E ela respondeu -hmmmmm. -E conquistar o mundo, ops, digo, abraços.

Ela soprou com o fogo dela, mas não foi suficiente. Ela soprou de novo, mas não adiantou. Ela falou que não deveria ter faltado às aulas do lobo. Aí ela comeu uma pimenta e SWOSHHHHHHHH, derreteu o espelho com o bafo.

O Cachulu veio, deu um abraço muito gostoso nela e falou – Oi, você é minha primeira escrava. Aí ele conquistou o mundo e todos tiveram que virar escravos dele, e dar abraços. Ele fez todas as pessoas do planeta ficarem em uma fila pra dar abraço nele. E a fila era tão grande que as pessoas nasciam na fila, viravam crianças, adultos, casavam, tinham filhos e morriam na fila, sem chegar no abraço.

Um dia apareceu um cavaleiro e disse que ia salvar todo mundo. Que ele não viveria em filas ou abraços, que ele era muito bom, e disse –Cachorro! Encerre seu reinado de abraços! E também escravidão e tal. E o Cachulu comeu ele e não sobrou nada.

Anos depois veio um ninja. Ninguém viu ele chegar, porque ele é ninja. Ele pulou no Cachulu de surpresa, segurou nas asinhas e torceu e fez ele voltar pro espelho e trancou a porta. As pessoas vieram agradecer, e ele disse – Agora a fila é pra dar abraços em mim Bwahahahahaha! Brincadeira. E antes que todo mundo pudesse rir, ele sumiu.

Quando ele chegou em casa, perguntou pra sua esposa ninja – oi, querida, tudo bem? – Tudo bem, e você? – Tudo bem. E cadê o bebê ninja? E ela respondeu – EU NÃO SEI ELE É NINJA!

Renato Kaufmann
Leia mais textos de Renato aqui.