Textos

24 de janeiro de 2014

Ela

Eu sempre sinto falta daquela menina cheia de sonhos que não tinham barreiras.
Ela acreditava num mundo onde qualquer coisa era possível, com um coração que nunca havia se quebrado.
Tsc, tsc, tão ingênua. Tão cheia de compaixão, paciência e vigor.

Algumas vezes eu já tentei mostrar a verdade pra ela. O mundo e eu tentamos.

Você será esquecida, eu disse.
Você ficará sozinha.
Você vai mudar.
Você vai fazer as escolhas erradas.
Você vai lamentar todos os dias por ter perdido seu tempo.
Você vai magoar muito alguém que te ama.
Você vai pensar que não merece nada de bom quando perceber isso.
Você vai se magoar.
Quando te quebrarem o coração, você vai mudar mais ainda. Você vai ficar tão deprimida que não levantará da cama, não terá forças e nem vontade para pentear um fio de cabelo. Ou você sentirá raiva.
E quando você perceber que todos os monstros são humanos, você vai mudar de novo.

Não adiantou. Ela não me ouviu. Ela tem o sol no peito mesmo, não liga, não se importa. Só acredita. Só mergulha fundo. Só dá a cara à tapa.

Só podia mesmo ser a Esperança.

 

* Imagem: Andrea Farina

Tatiana Giglio
Leia mais textos de Tatiana aqui.