Textos

09 de Abril de 2013

No way out

Okay. Eu, você e Lulu Santos consideramos justa toda forma de amor. Mesmo que muitas vezes o amor chegue torto e atravessado, e não embalado pra presente com um laço caprichado feito de fita bem bonita, como é no sonho da gente. Mesmo que às vezes o amor apareça e a gente nem sequer o reconheça. Eu já sei que esse tal de amor é complicado, às vezes dá tudo errado e quem foi que disse que a gente tá preparado pra viver o sentimento do jeito que ele tem que acontecer, abrir espaço no coração da gente e deixar crescer? E o medo de perder um pedaço desse coração e ele, em protesto, parar de bater? Nem sempre a gente está pronto pro encontro. Nem sempre o encontro está pronto pra gente. E, provavelmente, a respeito de tudo aquilo o que a gente já idealizou sobre o amor, eu prevejo: vai ser diferente. Mas eu não posso te dizer como vai ser porque isso a gente nunca vai saber – até que o cupido nos pegue desprevinidos e isso tudo faça sentido pra mim e pra você. Mesmo que haja tempo, espaço, distância, pessoas e memórias parecendo desordenar tudo, quando o amor chegar pra ocupar esse lugar, abre as suas portas e deixe ele entrar. Ele vai trazer pra você coisas tão raras de acontecer, como a vontade de estar sempre perto, dividir a cama, as contas e um teto. E você vai querer ter mais tempo e trabalhar um pouco menos, vai ficar mais pleno e sereno. Vai fazer planos pros próximos mil anos e descobrir diariamente pequenas belezas e, tenha certeza: mesmo quando algo der errado, você vai ter a tranquilidade de quem tem outro alguém com o mesmo amor precioso do seu lado. Então, quando a vida te proporcionar esse encontro, não seja tonto. Não perca tempo, não desperdice nenhum momento. Não tenha medo ou receio, não pise no freio. Entenda que o amor é ponto de partida, não te aparece muitas vezes na vida e que, quando ele acontece, ninguém duvida: amor perfeito é rua sem saída.

Veronica Fantoni
Leia mais textos de Veronica aqui.